Fórum internacional Rehabilite reúne 70 participantes en Amarante, Portugal Noticia 30/05/2018 12:51

Amarante_2 Amarante_3 Amarante_4

Cerca de 70 participantes reuniram-se na passada sexta-feira, dia 25, no CCA – Centro Cultural de Amarante Maria Amélia Laranjeira, para assistir ao Terceiro Fórum Transnacional do Projeto Rehabilite, um consórcio transnacional na área da eficiência energética, que conta com a Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM do Tâmega e Sousa) como membro.

Organizado pela CIM do Tâmega e Sousa, o Fórum reuniu especialistas, nacionais e estrangeiros, da área da reabilitação, para uma análise das políticas de eficiência energética adotadas em Portugal, bem como das soluções financeiras existentes no mercado para o financiamento de ações nesta área, com o objetivo de promover o intercâmbio de boas práticas e de experiências de sucesso entre profissionais e instituições públicas e privadas na área da eficiência energética

José Luís Gaspar, Presidente da Câmara Municipal de Amarante, destacou a premência da temática em discussão no Fórum: “A energia está em cima da mesa, em qualquer discussão, até porque tem a ver com tudo: com o conforto, com a sustentabilidade, com o clima. (...) Hoje, as cidades têm vindo a refletir e a inverter o ciclo e daí a importância do financiamento da reabilitação dos edifícios para acelerar este processo de inversão”.

Uma posição partilhada por Gonçalo Rocha, Vice-Presidente da CIM do Tâmega e Sousa e Presidente da Câmara Municipal de Castelo de Paiva, que sublinhou a importância que a reabilitação urbana e a eficiência energética assumem, sobretudo para aqueles que têm responsabilidades no domínio público. Na sua intervenção, Gonçalo Rocha relembrou ainda as razões que nortearam a CIM do Tâmega e Sousa a integrar o consórcio Rehabilite: “dar a conhecer à comunidade do Tâmega e Sousa os mecanismos e as linhas de apoio que existem e a importância da reabilitação do nosso edificado. (...) E hoje temos uma oportunidade de ouro para reabilitar o nosso edificado e darmos sequência a uma preocupação latente: a questão da descarbonização dos centros urbanos. Este é um objetivo geracional que vai marcar o nosso território e todo o país”.  

A primeira parte do Fórum foi dedicada aos métodos de avaliação da eficiência energética em edifícios, e contou com as intervenções de Manuel Duarte Pinheiro, Professor Auxiliar do Departamento de Engenharia Civil, Arquitetura e Georrecursos do Instituto Superior Técnico – Universidade de Lisboa, de João Marcelino, Presidente da Associação Passivhaus Portugal, de Fernando Collado Bermudo, Técnico de Eficiência Energética da AGENEX – Agencia Extremeña de la Energía (Espanha), entidade líder do Projeto Rehabilite, e de Ricardo Pedraz González, Consultor Sénior do Departamento de Finanças Públicas da AFI – Analistas Financieros Internacionales (Espanha).

O financiamento de intervenções de eficiência energética foi o mote do segundo painel, que reuniu João Cleto, Técnico Superior da AGENEAL – Agência Municipal de Energia de Almada, Jorge Rodrigues de Almeida, Diretor Europeu do Investor Confidence Project, Ana Rodrigues Uhlfelder, Gestora da Linha BPI/BEI Eficiência Energética da Direção de Produtos e Serviços a Empresas do Banco BPI, e Maria Albuquerque, Técnica Superior da Estrutura de Gestão do IFRRU 2020.

Até agora, os três Fóruns de Reabilitação Transnacional investigaram as diferentes situações e práticas relacionadas com a reabilitação energética nas regiões envolvidas no projeto. Diante do seu trecho final, um último e quarto Fórum servirá para fechar o projeto em novembro, apresentando seus principais resultados e reunindo importantes especialistas e experiências marcantes no campo. Acontecerá em Angoulême, na França.

Informações importantes sobre cookies: utilizamos tanto os nossos cookies como os de terceiros para melhorar os nossos serviços. Se continuar a navegar concorda com a sua utilização.