O segundo Fórum Transnacional do projeto Rehabilite decorreu em Bordéus Noticia 05/12/2017 09:12

Foto1 Foto2 Foto3

Desde janeiro de 2017, deverão ser realizadas 500 mil renovações por ano em França. Este número é dividido em 380 mil habitações privadas e 120 mil habitações sociais. Se os objetivos da esfera social ou coletiva-privada estiverem na mão de um grupo profissionalizado sujeito a limitações muito específicas, o setor privado de habitação individual é particularmente complexo para se mobilizar. Uma das principais necessidades é, portanto, encontrar novas ideias, alavancas e ferramentas que permitam que um número muito maior de lares se embarque voluntariamente, através de ideias, pistas ou conceitos inovadores que tornem a modernização da energia mais simples e atrativa.

No âmbito deste fórum, que reuniu mais de 80 participantes de França, Espanha e Portugal, vários oradores e especialistas analisaram as políticas adotadas em França para promover a melhoria da eficiência energética dos edifícios e apresentaram instrumentos financeiros desenvolvidos para responder a necessidades nacionais.

O contexto nacional e regional foi desenvolvido, em primeiro lugar, pelo grupo GIE des CERC. As necessidades de iniciar a transição energética a nível nacional e local foram então abordadas do ponto de vista económico com as intervenções dos representantes da Agence Nationale pour l'Environnement et l'Energie (ADEME) (Agência Nacional do Meio Ambiente e da Energia), o Plano Bâtiment Durable do Conseil Régional Nouvelle-Aquitaine (Conselho Regional da Nova Aquitânia). Vários instrumentos práticos foram finalmente apresentados, como o INEF 4 ou o SEM ARTEE, bem como Rénover Facile du Pôle CREAHd.

Uma breve apresentação do Pôle CREAHd, um cluster do setor de construção e materiais na região da Nova Aquitânia, ressaltou a importância dos seus 11 anos de atividade ao serviço das partes interessadas do setor. Com mais de 150 membros, apoiou 40 projetos de inovação e oferece diferentes formatos de conselhos e suporte para tornar sua rede cada vez mais competitiva.

A colaboração transfronteiriça é, de facto, um vetor importante para o desenvolvimento e a competitividade das empresas representadas pelo cluster, sendo precisamente esta questão do financiamento da renovação energética um desafio partilhado com homólogos europeus. Esses interesses comuns levaram o CREAHd a integrar o projeto REHABILITE, um projeto no âmbito do qual este fórum foi organizado.

Intervenções e intercâmbios no âmbito do Fórum levaram a conclusões construtivas e eixos de trabalho para aprofundar o assunto. Os motivos para apostar na renovação de energia vão além do argumento da energia: o conforto, a saúde, a adaptação às necessidades da velhice e cuidados domiciliários também devem ser considerados como argumentos fortes que apoiam a decisão final do utilizador. A clareza da informação, os passos a seguir e os auxílios disponíveis para o utilizador médio dependem, em grande medida, da existência de suporte local. O reforço de uma comunicação adaptada sobre instrumentos e dispositivos existentes, a fim de garantir que estes sejam acessíveis a todos, é um elemento indispensável para alcançar os objetivos acima mencionados. Uma imagem é reveladora em relação a esta realidade: mais de 40% dos utilizadores franceses nunca beneficiaram de nenhuma ajuda do Estado para realizar renovação energética.


Informações importantes sobre cookies: utilizamos tanto os nossos cookies como os de terceiros para melhorar os nossos serviços. Se continuar a navegar concorda com a sua utilização.